Education How Bootcamps

Repetíveis, escaláveis e exponenciais: o mundo das startups

Sempre que o assunto são startups, o que mais se ouve como definição é que são modelos de negócios repetíveis, escaláveis e que trabalham em condições de extrema incerteza. Se você não ficou assustado com o último elemento que compõe esse mundo, então, vem com a gente.

Startups are not smaller versions of large companies
Mesmo que tenha similaridades com as empresas tradicionais quando o assunto é compreensão dos interesses e desejos dos clientes, os procedimentos adotados para o lançamento de produtos é muito diferente. No campo das estratégias, essa distinção dos modelos de atuação também são notados: enquanto as empresas buscam mercados já consolidados e com demandas tangíveis, Peter Thiel, um dos fundadores do PayPal, diz que as startups deveriam mirar em mercados muito pequenos, por serem mais acessíveis, fáceis de dominar e com baixa concorrência.

Organizações escaláveis
Outra característica que merece atenção em uma startup é que o seu impacto é desproporcionalmente grande quando comparada com as empresas que atuam no mesmo mercado. Isso só acontece quando a tecnologia é a intermediadora na entrega de produtos e serviços. Ser escalável significa crescer rapidamente sem que isso influencie no modelo de negócios.

Negócios repetíveis
Um negócio repetível é aquele que consegue entregar o mesmo produto ou serviço em escala e de maneira ilimitada. O interessante aqui é trabalhar com os princípios de Growth Hacking: primeiro você testa seus modelos com uma pequena base de usuários, faz os ajustes necessários de produtos, serviços, marketing e entrega e, depois, replica esse processo em larga escala. Fica claro então que, para um negócio ser escalável, ele deve ser, primeiro, repetível.

Condições de extrema incerteza
Para entender esse tópico é necessário que o olhar esteja voltado para a essência de grande parte das startups: criar uma solução para uma dor de um grupo de pessoas ou nicho. Isso exige um novo mindset, compreendendo fases como levantamento de necessidades de um grupo de pessoas que não tem suas demandas satisfeitas pelo mercado, validação de hipóteses de problema, construção e validação de MVP, lançamentos das versões do produto, testes e alinhamentos. Então, a pergunta é: como saber se essa proposta está sendo materializada, se é sustentável e se pode gerar resultados financeiros para o novo negócio?

Quer conhecer mais sobre o universo das startups? Faça o bootcamp de Cultura Startup com o André Boaventura, sócio e diretor de marketing do Ebanx.